10 anos com Álvaro Feijó | Concursos Ilustração e Literário

Padrão

tira5-oconcilustracaoaf2017

      REGULAMENTO 5.º CONCURSO DE ILUSTRAÇÃO »» clique aqui

tira10-oconcliterarioaf2017

      REGULAMENTO 10.º CONCURSO LITERÁRIO »» clique aqui

Concurso de Leitura de Poesia

Padrão

Integrada na comemoração da “Semana da leitura 2017”, hoje a Biblioteca da Escola Secundária foi palco de uma maratona de leitura para dar cumprimento à primeira etapa do 1.º Concurso de Leitura de Poesia, organizado pela Rede de Bibliotecas de Lousada (RBL).

Na presença do júri, composto pelas Professoras Bibliotecárias, os alunos foram selecionados por ano de escolaridade, para representarem o nosso agrupamento na segunda etapa – Final, onde irão disputar o lugar de premiados, por ano de escolaridade, no dia 30 de março, pelas 14h30, na Biblioteca Municipal de Lousada.

Os concorrentes foram avaliados nos parâmetros da expressividade (adequação ao conteúdo), dicção, respeito pela pontuação e ritmo de leitura. Os prémios a atribuir serão livros e certificados de participação.

 Na próxima segunda feira, dar-se-á cumprimento a outra maratona, mas desta vez na Biblioteca da Escola Básica de Lousada Centro, para selecionar os alunos dos 2.º e 3.º ciclos.

Saudemos a primavera, dona da vida…

Padrão

“A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. […]
Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.
Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.
Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.
Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.
Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.
Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardénias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efémera.”

Texto extraído do livro “Cecília Meireles – Obra em Prosa – Volume 1“, Editora Nova Fronteira – Rio de Janeiro, 1998, pág. 366.


Glossário:

rododendros – [Botânica] Nome dado a um grupo de árvores e arbustos que pertencem à família da urze;
manacáss.m.[Brasil] Arbusto solanáceo ornamental e medicinal. Frequente em jardins e parques, provoca um belo efeito, pois suas flores grandes, bastante perfumadas, variam de cor, clareando do roxo até o branco. É encontrado no Brasil e nas Antilhas;
eufórbia – s.f.(gr euphórbion) Bot. Gênero de plantas, tipo da família das Euforbiáceas, de aparência grandemente diversa, sendo algumas carnudas, semelhantes a cactos, outras folhosas e herbáceas ou arbustivas, mas todas com seiva leitosa e flores sem cálice.
pulquérrima – é o feminino de pulquérrimo. O mesmo que: formosíssima.

Exposição de trabalhos de Geografia

Padrão

Está a decorrer, no átrio da escola, uma exposição de trabalhos realizados nas aulas de Geografia, sob a orientação das professoras Isaura Couto e Joaquina Dias, por alunos de 7.º e 10.º anos de escolaridade, subordinada aos seguintes temas: ”Mapas Mentais”, ”Rosas dos Ventos” e  “Pirâmides Etárias”.

Os alunos estão de parabéns pelo seu trabalho e, sobretudo, pelo empenho!

António Guterres fala sobre o Dia da Mulher’17

Padrão

rra,

Foi em 8 de março de 1917, quando aproximadamente 90 mil operárias se manifestaram contra o Czar Nicolau II, devido às más condições de trabalho, à fome e à participação russa na guerra – num protesto conhecido como “Terra, Pão e Paz” – que a data se consagrou, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921.

Conteúdo relacionado:

Carnaval na biblioteca da Secundária

Padrão
O Teatro é como o Carnaval. Excita, comove, amedronta, duplica a vida. Sente-se a gente com a alma à solta…

A Escola do Paraíso, de José Rodrigues Miguéis

A Biblioteca da Escola Secundária de Lousada acolhe uma exposição temática sobre o Carnaval. As máscaras e as mascarilhas expostas foram decoradas pela Assistente Operacional, Anabela Cunha. Para além da animação do espaço, a Coordenadora também preparou uma exposição de livros e de DVD alusivos, de forma a incentivar alunos e professores a aproveitarem a época de uma forma divertida.

O ensino de Artes na escola

Padrão

Mostra de trabalhos realizados pelos alunos do 10.ºG, sob a orientação do professor Luís Melo, na disciplina de Desenho com desenvolvimento de expressão livre dos alunos e a propósito de algumas das unidades desenvolvidas ao longo do primeiro período.

Os alunos aprendem naquilo em que são bons, experimentando coisas, o professor deve dar‐lhes a oportunidade de experimentar e ultrapassar as suas fraquezas. Eles preferem aprender de forma criativa, manipulando, questionando, experimentando, testando e modificando ideias… até à fantasia. Essa é a expressão que revela o verdadeiro ser.